top of page
  • Indoor Brasil

Turismo de MS é destaque em categorias de prêmio voltado para o viajante LGBTQIA+


 

O turismo de Mato Grosso do Sul já começa 2023 sendo destaque entre destinos turísticos e pelas ações de promoção desenvolvidas no segmento LGBTQIA+. Bonito, Pantanal e o Estado de Mato Grosso do Sul foram indicados no ‘2º Prêmio Viaja Bi’, premiação pioneira no mercado.


A primeira edição do prêmio aconteceu em 2020, antes das restrições provocadas pela pandemia, e retorna este ano projetando os top destinos para o segmento. O diretor-presidente da Fundação de Turismo de MS, Bruno Wendling, diz estar feliz com a participação do estado de Mato Grosso do Sul nesse importante prêmio do segmento LGBTQIA+.


“Isso é fruto do nosso trabalho de quase 5 anos focado nesse segmento, quando partimos do zero em termos de posicionamento ou de ações promocionais, competindo com destinos consolidados há muitos anos. Agora vemos MS sendo escolhido o segundo melhor destino para aventura e atividades outdoor e o quinto estado com a melhor promoção turística, dividindo a colocação com outro país. Então, vejo que é um resultado importante e agora queremos focar cada vez mais e ampliar as ações para alçar voos ainda mais altos”, enaltece Wendling.


O diretor-presidente da Fundação de Turismo de MS também fala sobre as ações que levaram Mato Grosso do Sul a ser mencionado como um importante destino para o público LGBTQIA+. “Entendemos que esse é um bom resultado pelo pouco tempo que temos trabalhado com esse público. Mas claro que sempre com um trabalho muito sério, com ações de capacitação junto ao trade sul-mato-grossense, com apoio a eventos específicos, com a criação de uma logomarca com características do segmento, somado ao relacionamento com operadores e posicionamento nas mídias e com a parceria dos nossos destinos que já vinham trabalhando com o segmento e agora ampliam sua visibilidade. Isso mostra que estamos no caminho certo”, finaliza.


Categorias


Concorrendo com destinos do mundo todo em 12 categorias, o MS foi destaque por cinco vezes. Mato Grosso do Sul foi o 2º melhor colocado na categoria Melhor Destino LGBTQIA+ Aventura/Outdoor, perdeu apenas para o Chile. Em Melhor Destino LGBTQIA+ Beleza Natural, Bonito ficou em 7º lugar. Na categoria Melhor Promoção Turística para Viajantes LGBTQIA+, o Mato Grosso do Sul ficou em 5º e dividiu a colocação com a Alemanha. E em Melhor Destino LGBTQIA+ Brasileiro, Bonito aparece em 7º lugar e o Pantanal em 18º.


O júri foi composto por 63 pessoas do Brasil e de outros países que trabalham com turismo ou que viajam com frequência. Cada membro do júri preencheu um formulário indicando 5 destinos internacionais e 5 destinos brasileiros, justificando sua escolha.


Segundo os organizadores, a ideia é que o prêmio seja como uma bússola para os viajantes planejarem suas viagens em 2023, com base nas tendências indicadas por especialistas em turismo e viajantes experientes e frequentes. A ideia é trazer a opinião destas pessoas por terem conhecimento e um olhar específico sobre as tendências no turismo LGBTQIA+.


E no ranking de estados brasileiros no Prêmio Viaja Bi, com Indicações compiladas por estados, nominalmente ou por meio de destinos internos (cidade ou região), Mato Grosso do Sul é o 7ª estado melhor avaliado atrás de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Santa Catarina, Minas Gerais e Pernambuco respectivamente. Saiba mais no site viajabi.com.br/2-premio-viaja-bi-melhores-destinos-lgbtqia-2023


Políticas públicas e Lei contra a homofobia e racismo.


No Estado de Mato Grosso do Sul, a Lei Estadual 3.157/05 dispõe sobre as medidas de combate à discriminação devido à orientação sexual. O Art. 1º fala que toda e qualquer forma de discriminação, prática de violência, seja de ordem física, psicológica, cultural e verbal ou manifestação de caráter preconceituoso contra pessoa por motivos derivados de sua orientação sexual e gênero, feminino ou masculino é ilícita, devendo ser combatida e punida na forma da Lei.


O Art. 2º explica que discriminação é qualquer ação ou omissão que, motivada pela orientação sexual, causar constrangimento, exposição a situação vexatória, tratamento diferenciado, cobrança de valores adicionais ou preterição no atendimento a gays, lésbicas, bissexuais, transgêneros e travestis.


Em 2017, Mato Grosso do Sul deu outro importante passo para as políticas públicas LGBT, com a criação da subsecretaria Estadual de Políticas Públicas LGBT, que trata exclusivamente desse público e leva palestras e seminários para agentes públicos e estabelecimentos privados com o intuito de melhor receber e atender esse público.

Comments


bottom of page