top of page
  • JD1

Riedel lança 'Dia D' da Operação SULMaSSP

Ação tem como objetivo prevenir e reprimir crimes nas fronteiras e divisas de Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul

Secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Antonio Carlos Videira; ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet; governador Eduardo Riedel e o secretário de Governo e Gestão Estratégica, Pedro Caravina (Foto: Adriano Miguel)

Na manhã desta sexta-feira (10), o governador Eduardo Riedel, acompanhado do secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Antonio Carlos Videira, e do Delegado-Geral da Polícia Civil, Roberto Gurgel, participou do lançamento do ‘Dia D’ da 3ª Operação SULMaSSP – Edição Mato Grosso do Sul. A ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet, também esteve presente no evento.


Em sua fala, Riedel destacou o combate ao crime organizado que a operação reflete não apenas em MS, mas em outros estados da federação. “O crime organizado não tem fronteira. Opera em diferentes estados, não respeita barreira, autoridade e a gente tem que ter capacidade de reação. Então o que estávamos fazendo aqui é integras as forças de segurança pública para combater as ações”, disse o governador.


Ao falar sobre o SULMaSSP, consorcio entre seis estados, sendo: Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, Gurgel pontuou que o enfoque da operação no estado foi relacionado a crimes ambientais, tráfico de drogas, crimes rurais, organizações criminosas e outros.


Foram empenhados 1.500 policiais, 320 viaturas e 6 aeronaves para participar da operação. Durante a ação, houve a apreensão de 50 toneladas de drogas, 6 mil pessoas encaminhadas para a detenção e cerca de 3.500 veículos apreendidos.


Com o avanço da ‘onda’ de homicídios que vem ‘tomando conta’ da Capital nos últimos anos, o delegado explicou que a maioria dos crimes está ligado ao tráfico de drogas e a demarcação de territórios, para venda do entorpecente. Antigamente, esses delitos eram mais comuns apenas na região de fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai e Bolívia.


“A grande maioria dos homicídios tem relação com o tráfico de drogas e a gente tem buscado não só elucidar o crime de homicídio, mas também atuar de uma maneira bem combativa no tráfico de drogas. Tanto que Mato Grosso do Sul é o estado que mais aprende droga no Brasil”, disse Gurgel.


Videira elogiou os equipamentos disponibilizados ao efetivo. O secretário de segurança elencou ainda o apoio das forças municipais e federais à operação. "Segurança pública também se faz com inteligência. Temos aqui o exemplo macro de integração, que nos permite promover muito mais do que nós podemos responder dentro dos nossos estados".

Comments


bottom of page