top of page
  • Top Mídia News

Polícia penal recebe novas pistolas Glock em Mato Grosso do Sul



(Fotos: Ascom/Sejusp)

O governo do Estado entregou, nesta terça-feira (19), 45 pistolas da marca austríaca Glock para a Polícia Penal de Mato Grosso do Sul. O investimento, no valor de R$ 90.013,50, foi viabilizado por meio do repasse do Funpen (Fundo Penitenciário Nacional), na modalidade fundo a fundo.

As novas armas serão destinadas ao uso dos policiais penais do COPE (Comando de Operações Penitenciárias), grupo que representa a força de reação da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário). Os armeiros participaram ativamente de todo o processo de escolha dos armamentos.

As pistolas Glock são reconhecidas pela qualidade e eficiência, projetadas especificamente para uso dissimulado e desenvolvidas com características técnicas que facilitam o manuseio em operações policiais. A arma é mundialmente conhecida por seu desempenho comprovado em situações que exigem ação rápida por parte dos agentes de segurança.

Essas pistolas são do tipo semiautomático, calibre 9mm, cano com comprimento máximo de 132,08 mm e capacidade mínima para 15 tiros. Possuem acabamento oxidado, pintado, fosfatizado ou anodizado, e são fabricadas com materiais de alta qualidade como aço e polímero.

O chefe do Team Glock Brasil, Mauro Thompson, esteve em Campo Grande para treinar os operacionais do COPE. Segundo ele, e os mecanismos de travamento e disparo dessas pistolas proporcionam segurança adicional, prevenindo disparos acidentais e garantindo a integridade dos operadores e terceiros durante as operações.

“A compra dessas armas representa um importante investimento para o fortalecimento das operações de segurança pública em Mato Grosso do Sul, contribuindo para o enfrentamento de desafios cotidianos e garantindo maior eficácia nas ações do COPE”, ressaltou o diretor-presidente da Agepen, Rodrigo Rossi Maiorchini, durante a entrega.

Segundo o dirigente, está em andamento um processo para a aquisição de outras 700 pistolas 9 mm, acompanhadas de 20 fuzis calibre 556, por meio da modalidade fundo a fundo, para atender também outros serviços da Polícia Penal.

O policial penal Jonadabe Oliveira dos Santos Alves, da Divisão de Compras e Suprimentos da Agepen, foi o responsável por coordenar o processo de compra das armas Glock. Ele informou que a aquisição foi realizada por meio de adesão à Ata de Registro da Polícia Militar de Minas Gerais, após uma pesquisa em todo o Brasil, conseguindo adquirir cada armamento por cerca de R$ 2 mil.

Os trabalhos tiveram também a participação dos policiais penais Richard Dias (que comandava o COPE na época), Elvis de Oliveira Viração  (atual chefe da Divisão de Compras e Suprimentos) e Edilena Rocha (que chefiava o Núcleo de Planejamento, Projetos e Convênios).

O processo de compra iniciou-se em 2021 e demandou uma série de autorizações de diferentes órgãos fiscalizadores, como o Exército e a Receita Federal, por se tratar da compra de armamento internacional, garantindo, assim, a transparência e a conformidade com os procedimentos legais.

O contrato também prevê o retorno de 1% do valor na reposição de peças, além do curso de formação de armeiros, com treinamento para operacionais do COPE sobre características da marca e técnicas para montagem e desmontagem completa da pistola.

Comments


bottom of page