top of page
  • PMNA

Obra de recuperação de área degradada por antigo lixão entra em fase final

Em vistoria realizada na manhã desta quarta-feira (30), a secretária de Meio Ambiente destacou o pioneirismo da iniciativa

Na manhã desta quarta-feira (30), a secretária municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Integrado, Juliana Lopes, vistoriou o canteiro de obras onde encontra-se em execução o projeto de Recuperação de Área Degradada por Resíduo Sólidos (PRADE-RS), iniciativa pioneira no Estado de Mato Grosso do Sul, implementada através de recursos próprios da Prefeitura de Nova Andradina, orientada pelo Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado.

A obra de retirada do lixão, em fase de conclusão, foi iniciada em maio de 2023, e tem por objetivo isolar a área, evitar a contaminação do solo e do lençol freático do espaço onde foram depositadas, de modo inadequado, milhares de toneladas de resíduos ao longo de 40 anos.

Nesta última etapa, a empresa que realiza a recuperação da área, concluiu a aplicação da geomembrana de isolamento do material removido. Na vistoria, a secretária Juliana Lopes esteve acompanhada do gerente da Transresíduos, Marcos Affonso e, na oportunidade destacou a sensibilidade do prefeito Gilberto Garcia e prestou informações sobre a última etapa da obra, que consiste na forragem da geomembrana por uma camada de 60 centímetros de terra, terminando a obra com o plantio de grama sobre este material.

“Olhando toda essa mobilização, liderada pelo nosso prefeito Gilberto Garcia, que aponta para o cuidado com o Meio Ambiente, sinto-me honrada pelo pioneirismo desta iniciativa, exemplo não só para o MS, mas para o país, pois estamos entre as poucas cidades que respeitam esta norma ambiental”, comemora a secretária.

Execução do PRADE-RS

Para o custeio da obra a Prefeitura irá desembolsar um valor global de R$ 3.250.577,99 (três milhões, duzentos e cinquenta mil, quinhentos e setenta e sete reais e noventa e nove centavos), recurso próprio do Município.

Além de ser objeto de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre a Prefeitura de Nova Andradina e o Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul (MPMS), a obra também possui Autorização Ambiental junto ao órgão estadual ambiental, o IMASUL, para sua execução, e está sendo acompanhada e fiscalizada pelo Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul (TCE-MS) e Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul (AGEMS).

Prefeitura desativa lixão e inicia tratamento dos resíduos

Até o início do ano de 2019, o antigo lixão de Nova Andradina ainda estava em funcionamento, e era um local onde diariamente recebia resíduos de diversas fontes geradoras de resíduos. Após o início da operação do Aterro Sanitário Municipal, o local foi isolado e não recebeu mais resíduos a serem dispostos diretamente no solo e, atualmente, está em fase de recuperação da área.

Os resíduos, outrora depositados de maneira inadequada passou a ser gerido pela municipalidade através de participação efetiva da comunidade que, além da contribuição da "taxa do lixo", colabora na separação do lixo orgânico dos materiais recicláveis, ações que, segundo a secretária municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Integrado, corroboram para cumprimento da Lei Federal n° 12305/2010, a Política Nacional de Resíduos Sólidos, quanto para elevar os padrões de saúde e sustentabilidade do município.



Comentarios


bottom of page