top of page
  • EnfoqueMS

Dia Mundial do Coração alerta para os cuidados com a saúde do órgão


Nesta sexta-feira (29), comemora-se o Dia Mundial do Coração. A iniciativa é um alerta para os cuidados com a saúde do órgão. São diversas as doenças e fatores de risco que comprometem o funcionamento do coração, como a hipertensão, as valvopatias, insuficiência cardíaca, colesterol alto, diabetes, obesidade e alguns tratamentos utilizados para tratar o câncer.

De acordo com o Ministério da Saúde, as doenças do coração são responsáveis por 30% das mortes no Brasil. Por isso é necessário entender quais os cuidados e prevenções necessárias para cuidar do órgão vital.

Neste sentido, é importante ter a conscientização sobre a importância de cuidar adequadamente do coração.

Os males da hipertensão


Um dos principais fatores de risco para o surgimento de doenças cardiovasculares é a hipertensão. Dados do Ministério da Saúde (MS) apontam que 30 milhões de brasileiros convivem com a pressão alta e as mortes ocasionadas pela condição aumentaram 72% nos últimos 10 anos. “A hipertensão não tratada corretamente aumenta as chances de um acidente vascular cerebral (AVC) e de um infarto. É um problema comum na população, mas que precisa ser combatido para diminuir os índices alarmantes de morte por doença cardiovascular”, alerta Ariane Macedo, cardiologista e membro do Comitê Científico do Instituto Lado a Lado pela Vida.

As doenças cardiovasculares são as principais causas de morte no mundo. No Brasil, segundo dados do Sistema de Internação Hospitalar do Datasus, entre 2008 e 2022, o número de internações por infarto aumentou. Entre os homens, a média mensal passou de 5.282 para 13.645, alta de 158%. Já entre as mulheres a média saltou de 1.930 para 4.973, um aumento de 157%.

Colesterol alto e suas complicações

Um fator que contribui para o desenvolvimento das enfermidades cardiológicas é o colesterol alto. O alto índice do LDL, popularmente conhecido como o colesterol ruim, provoca a aterosclerose, que é o acúmulo de gordura e obstrução dos vasos sanguíneos. De acordo com pesquisa realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), 27% dos adolescentes brasileiros têm colesterol alto. Já os entre os adultos, o índice chega a 40%, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).

“O combate ao colesterol alto é primordial para evitar o infarto, por exemplo. A adoção de hábitos saudáveis, como atividade física e incorporação de uma alimentação mais natural, rica em frutas, legumes e alimentos não industrializados, estão entre as principais formas de combater o problema”, explicou Ariane.

Valvopatias e suas características

Entre as doenças que prejudicam a saúde do coração estão as valvopatias, problema conhecido por boa parte da população brasileira. Segundo pesquisa do Instituto Lado a Lado pela Vida, mais da metade dos brasileiros (53%) já ouviu falar sobre as valvopatias, porém muitos desconhecem sua definição e características.

O problema cardiovascular é caracterizado pelo mau do funcionamento das válvulas cardíacas, que pode acarretar insuficiência cardíaca, por exemplo. São dois os principais fatores que podem causá-la: a febre reumática e o envelhecimento. A primeira causa está relacionada ao tratamento inadequado de uma infecção na garganta, de origem bacteriana, na infância e acomete, principalmente, os jovens em idade ativa. O segundo fator está ligado a calcificação e degeneração das válvulas causadas pelo avançar da idade.

“A principal forma de combater as valvopatias é a prevenção. A ida regular ao médico, a realização dos exames de rotina e a observação do histórico familiar são os cuidados principais. É importante também estar atento a sintomas como palpitação, dor no peito e fadiga”, pontua Ariane.

O que é cardiotoxidade?

As terapias utilizadas no tratamento oncológico é outro fator que pode comprometer a saúde do coração. As toxinas liberadas pelos remédios podem aumentar os riscos de uma doença cardiovascular e as chances de morte. A cardiotoxicidade, nome dado aos problemas causados pela medicação para os carcinomas, é uma das complicações mais comuns quando o assunto é tratamento oncológico. Ela é capaz de provocar danos como lesões na musculatura do órgão, insuficiência cardíaca, infarto, hipertensão e arritmias.

O tipo mais comum capaz de causar danos ao coração é quimioterapia. Alguns quimioterápicos fazem com que o coração perca força causando insuficiência cardíaca, por exemplo. Entretanto, outras modalidades também podem ocasionar o surgimento de doenças no órgão. A radioterapia pode aumentar o risco de aterosclerose, placa de gordura nos vasos, que pode levar ao infarto.

Prevenção

A maior associação de cardiologia do mundo, destinada à prevenção, American Heart Association, este ano chama atenção para os oito pilares para a manutenção e alcance da saúde cardiovascular: controle da pressão arterial, controle do colesterol, controle da glicose, controle do peso, realização de exercícios físicos, qualidade da alimentação, parar de fumar, e, mais recentemente, um aspecto fundamental, qualidade do sono (dormir entre sete a oito horas por noite, sendo que jovens e crianças precisam de um pouco mais de sono).

Mas para ter uma vida mais saudável e longa não é preciso fazer grandes mudanças, apenas o simples e bem executado já funciona, como explica o cardiologista Délcio Gonçalves, chefe da Unidade Coronariana do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. “Medidas simples funcionam e muito bem, e nós já sabemos. Comer menos, ter uma dieta baseada em frutas, verduras, legumes e cereais. Evitar o consumo de carne vermelha diariamente, preferir as carnes brancas, principalmente os peixes, e quase que eliminar o açúcar e, principalmente, as gorduras saturadas e alimentos processados e muito industrializados”.

Exercícios físicos

“Trinta a cinquenta minutos por dia de uma atividade física que provoca algum grau de cansaço, desde que você não tenha uma limitação grave, é suficiente para manter a saúde cardiovascular”, afirma o Dr Délcio.

Por mais simples que possa parecer, o ato de caminhar apresenta grandes ganhos para a saúde. Além de melhorar o condicionamento físico, a caminhada ajuda no controle do colesterol e no fortalecimento da musculatura.

Trinta minutos de caminhada diariamente podem ajudar a controlar o peso e melhorar o sono, aumentando o bem estar físico e mental.

Confira algumas dicas para adotar o hábito de caminhar:

– Comece devagar, aprecie o que está a sua volta e, gradualmente, estabeleça uma rotina de 30 minutos de caminhada por dia; – Use sapatos e roupas confortáveis; – Beba um copo de água (300ml) antes e depois de caminhar; – Evite caminhadas longas após as refeições; – Dê passos moderados no início e no final da caminhada; – Caminhe com outras pessoas, se for mais agradável para você do que caminhar sozinho;

Atitudes no dia a dia

O cardiologista ressalta também que as ações no dia a dia podem se somar com uma rotina mais leve e saudável. “Procure ficar ativo nas suas atividades regulares, como no trabalho, prefira ficar em pé do que sentado. Caminhar e usar escadas ao invés do elevador”.

Para ter um coração saudável é preciso um conjunto de ações, pois uma está ligada à outra. Uma boa noite de sono, evitar situações estressantes antes de dormir, um bom ambiente de trabalho e paz de espírito são algumas dessas ações. “Nós devemos ter uma vida com espiritualidade. E a espiritualidade envolve paz de espírito, procurarmos nos irritar menos, brigar menos, procurarmos ter sentido na vida, sermos úteis e sermos bons. Com isso nós vamos ter uma boa noite de sono, nós vamos ficar felizes e vamos procurar viver por bastante tempo, conseguindo comer bem, se exercitar direito e ser uma pessoa útil”.

Comments


bottom of page