top of page
  • JD1

Cansada de apanhar, jovem mata o marido com facada no pescoço em Campo Grande

Ela também estava com medo de que ele pudesse fazer alguma coisa contra o filho do casal, de apenas 4 meses


Natan da Silva, de 33 anos, morreu ao ser esfaqueado no pescoço pela esposa, de 28 anos, durante a noite de sábado (21), na região do bairro Moreninhas, em Campo Grande. A jovem teria se cansado de apanhar e ainda ficou com medo de ele ferir o filho do casal, de apenas 4 meses.


Conforme o boletim de ocorrência, a vítima contou para a Polícia Militar, em completo estado de choque, que o casal teria brigado já durante a tarde pois o rapaz estava descontente que a esposa iria levar os filhos de outro relacionamento, a uma festa dos parentes do pai deles. Natan sentia muito ciúmes quando se tratava de parentes de seu ex-marido.


Ao falar com o companheiro pelo telefone, a jovem notou que ele estava com a voz embargada como se tivesse bebido. Ela comentou ainda que a maioria das brigas entre o casal aconteciam por causa do envolvimento de Natan com bebida alcoólica.


Na noite de ontem, ao chegar em casa, encontrou o marido bastante nervoso e agressivo.

Para evitar confusão, ela teria ido para o quarto dormir com o filho, de apenas 4 meses. Porém, foi surpreendida pelo marido, sendo agredida ainda na cama junto ao bebê. Natan já estava em posse de uma faca que havia pegado na cozinha.


Em determinado momento, o rapaz pegou o filho do casal e saiu correndo ainda segurando a faca. Por medo de que ele fizesse alguma coisa contra a vida do pequeno, a jovem saiu correndo atrás do companheiro armada com outra faca. Sem saber muito bem o que teria acontecido, ela disse se lembrar apenas de atingir Natan com um golpe, não sabendo o local atingido nem a gravidade do ferimento.


Por medo, ela retornou rapidamente para casa com seu filho caçula no colo e trancou o portão. Natan correu pedindo ajuda a um vizinho, sendo levado de carro para a UPA Moreninhas, mas acabou morrendo momentos depois de chegar na unidade de saúde.


Equipes das policiais Civil e Militar, além das equipes da Perícia Cientifica, estiveram no local fazendo o atendimento da ocorrência, que foi registrada na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Cepol, como homicídio simples, lesão corporal dolosa, ameaça, dano e violência doméstica.

Comments


bottom of page