top of page
  • Top Mídia News

Adolescente é morto pela vizinha com tiro no olho em Campo Grande

Jovem de 17 anos foi encontrado sem vida no quarto da suspeita no residencial Jardim Canguru, região sul

Wandré de Castro Ferreira, de 17 anos, foi assassinado com um tiro no olho na madrugada deste sábado (2), em um condomínio no Jardim Canguru, em Campo Grande.

A mãe, Sirlene Soares de Castro, de 37 anos, disse que o filho foi assassinado por uma vizinha de 45 anos, moradora do andar debaixo.

Ela afirma que eles não tinham nenhum relacionamento, e não faz ideia dos motivos para o homicídio. A mulher teria chamado a vítima para ir até a casa dela durante a madrugada.

“Ela é minha vizinha aqui do bloco. Não sei porque ocorreu isso. Não tínhamos desavenças, nem nada. De dia ainda, o meu filho mais velho foi ajudar ela a trazer as sacolas compras do mercado. E o Wandré também ajudou. Quando foi umas 22h30 eu coloquei meus filhos para dentro de casa e ele deitou na sala porque estava fresquinho. Até onde fiquei sabendo, uma das filhas mais velhas dela chamou ele para ir até lá”, conta Sirlene.

Ela afirma que acordou por volta das 2h40 da madrugada com a filha mais velha da vizinha batendo fortemente em sua porta para avisar do ocorrido. “Ela disse: ‘tia não briga com minha mãe. Ela atirou sem querer no seu filho. Foi um tiro por acidente’. Aí eu corri e vi os filhos dela na sala e o meu filho caído sangrando no quarto dela”.

Wandré foi encontrado no chão do quarto da suspeita, ferido com um tiro no olho. “E eu gritei para chamar o Samu e os bombeiros. E essa mulher virou para mim e disse que não era para chamar nada. Mesmo assim eu peguei o celular e chamei a Polícia, chamei tudo”, disse a mãe.

O Corpo de Bombeiros foi ao local e constatou o óbito de Wandré.

Segundo Sirlene, a vizinha foi presa em flagrante e ficou dizendo o tempo todo que o tiro foi acidental. A arma do crime foi recolhida pela Polícia e o corpo encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal).

“Eu não escutei barulho de tiro e nem nada. Ela fez a casinha, levou o meu filho para o quarto e matou meu filho. O meu coração diz que ele ficou sabendo de alguma coisa errada dela e ela o matou. Meu filho não era envolvido com coisa errada. O pessoal gostava muito dele. Ele estava fazendo jovem aprendiz, estudava a noite. Ele era uma criança maravilhosa. Ele não tinha rixa com ninguém”.

PIX

A família pede ajuda para o velório que custará R$ 3,5 mil. O velório previsto para a noite de hoje ocorre Memorial Park, e enterro acontece no domingo (3) de manhã.

PIX CPF 024.279.831-44

Comments


bottom of page